Pagamento extra do auxílio emergencial: Confira o que é preciso para receber o benefício

Imagem: Reprodução/Google



O Governo Federal liberou cotas adicionais de auxílio emergencial para um novo grupo de beneficiários. Dados do Ministério da Cidadania indicam que 1,2 milhão de pessoas devem receber parte do valor total de R$ 2,8 bilhões destinados às transferências.


Com antecedência, é importante ressaltar que os pagamentos são retroativos e não correspondem a uma nova prorrogação do auxílio emergencial. O repasse de recursos extras ocorre após a derrubada do veto do presidente Bolsonaro pelo Congresso que impediu o grupo de pais solteiros de receber a dupla cota do programa.


Agora, depois de algum tempo, o governo começou a liberar os homens atrasados para chefes de famílias de pais solteiros. Os valores referem-se às parcelas pagas entre abril e agosto de 2020. Na época, apenas mães sozinhas recebiam R$ 1,2 mil na cota dupla, enquanto os pais apenas R$ 600, na cota única.


Pagamento extra por auxílio emergencial: Qual é o valor da transferência?


Com a Medida Provisória (MP) referente aos editais de auxílio emergencial, começaram os pagamentos das cinco primeiras parcelas retroativas do benefício aos pais das famílias, que são os cidadãos elegíveis para os recursos.


Considerando que os depósitos referem-se às cinco parcelas do benefício, pagas entre abril e agosto de 2020, foi definido o valor do auxílio emergencial retroativo da seguinte forma:


  • Aqueles que receberam cinco parcelas têm direito a R$ 3.000;
  • Aqueles que começaram a receber em maio têm direito a R$ 2,4 mil;
  • Quem começou a receber os pagamentos em junho pode sacar R$ 1,8 mil;
  • Aqueles que começaram a receber em julho têm direito a R$ 1,2 mil; e
  • Quem começou a receber em agosto pode sacar R$ 600.

Como consultar a disponibilidade de assistência de emergência retroativa?


Para saber se foi contemplado com o pagamento extra do benefício, o cidadão pode consultar sua situação no portal desenvolvido pela Dataprev - empresa de tecnologia previdenciária.


O site para consulta com assistência emergencial pede que o usuário entre usando um Gov.br. Ao acessá-lo, será possível verificar a elegibilidade para o programa e, consequentemente, para as parcelas adicionais.

width-responsive="true" style="display: block;">

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem