Auxílio emergencial com retorno de pagamentos neste ano de 2022? Entenda detalhes

Imagem: Reprodução/Google


O auxílio emergencial foi criado em 2020 para atender famílias em situação de vulnerabilidade diante da pandemia Covid-19. Mais tarde, somente em 2021, quando o programa foi renovado, cerca de 39 milhões de pessoas foram atendidas.


No entanto, com o programa encerrado em outubro do ano passado e logo após o início do Brazil Aid em novembro, mais de 25 milhões de famílias ficaram sem acesso a nenhum programa social, ou seja, ficaram de fora.


Esse cenário é ainda mais agravado, especialmente porque a economia do país ainda não voltou ao normal, levando muitos cidadãos de baixa renda a perderem seus empregos. Nesse sentido, a realidade de muitos brasileiros é que eles não têm renda mensal para seu sustento.


Assim, embora o Governo Federal já tenha informado que não pretende retornar com auxílio emergencial, os parlamentares buscam formas de devolver o benefício e as discussões devem começar em breve.


Segundo o deputado Renildo Calheiros (PSB-PE), o "auxílio é muito importante para milhões de brasileiros que estavam completamente desassistidos na pandemia que ainda persiste", diz.


De qualquer forma, até agora não há informações oficiais sobre o retorno ou não do Auxílio de Emergência. Nesse sentido, o governo mantém a justificativa de que não consegue arcar mais uma vez com os custos do programa.


Auxílio emergencial 


Enquanto os parlamentares buscam a devolução do Auxílio Emergencial, a Caixa Econômica Federal dá andamento no pagamento da cota extra destinada aos pais solteiros, chefes de família de pais solteiros.


Assim, estão sendo contemplados com um pagamento retroativo, referente às parcelas duplas que não tiveram acesso em 2020. Assim, aqueles que receberam pelo menos uma das cinco primeiras parcelas do auxílio no ano em que os pagamentos começaram têm direito ao benefício.


Para saber se você terá direito a transferências retroativas, a consulta já está liberada no Dataprev. Para isso, basta inserir os seguintes dados na página:


  • CPF (Cadastro de Pessoas Físicas);
  • Nome completo;
  • Nome da mãe;
  • Data de nascimento.

Governo anunciará criação de dois auxílios


Nesta semana, membros do Ministério da Economia e da Cidadania planejam realizar uma série de reuniões. O motivo: analisam a possibilidade de liberar mais ajuda social à população em estado de vulnerabilidade social. Um seria um voucher para motoristas e o outro, um pagamento mensal para caminhoneiros.


As mudanças ainda não foram implementadas, ou seja, os trabalhadores ainda não podem contar com esse dinheiro. No entanto, informações de bastidores relatam que membros do Governo Federal querem levar suas ideias adiante. No caso do voucher para motoristas, o objetivo seria atender profissionais que precisam de carros para trabalhar.


Taxistas, motoristas de aplicativos como Uber e mototaxistas estariam na lista. Para começar a trabalhar de fato, o Governo Federal ainda teria que regularizar os valores, as regras de entrada e o número de vagas para pagamentos. Assim, o objetivo é deixar o projeto pronto durante este primeiro semestre do ano.


O benefício para os caminhoneiros ainda estaria nos estágios iniciais das discussões. Os valores dos pagamentos, por exemplo, ainda não são conhecidos. Dentro do Palácio do Planalto, uma das ideias é pagar parcelas de R$ 400 por mês. Na leve, o dinheiro ajudaria os profissionais no processo de compra de diesel, que vem subindo de preço nos últimos meses.


Além desses benefícios, o Governo Federal também avalia a possibilidade de aumentar o tamanho do vale-gás nacional. Projeto de lei aprovado no Senado Federal recentemente que aumenta o número de usuários atuais pouco mais de 5 milhões para mais de 10 milhões de cidadãos. O Poder Executivo precisa dar o prazo para a aprovação do texto na Câmara dos Deputados.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem