Existem pessoas que não deveriam tomar paracetamol; Descubra se você faz parte de quem sofre com as restrições para esse medicamento popular.

Imagem: Reprodução/Google


O paracetamol é um dos medicamentos mais famosos e usados em todo o mundo. Seu uso é tão comum diante de crimes, resfriados, alergias, adis e vírus que pouco se pergunta sobre seus efeitos colaterais. No entanto, seria tolice acreditar que alguma droga está 100% livre de contraindicações. Há pessoas que não devem tomar paracetamol e você pode estar dentro do grupo de restrição.


Tomar muito paracetamol oferece riscos à saúde


Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), doses incorretas de paracetamol podem resultar em sérios efeitos adversos. Isso inclui hepatite de drogas (inflamação do fígado) e até mesmo a morte. É claro que situações extremas são raras, mas podem ocorrer em alguns casos específicos.

A melhor maneira de evitar problemas é seguir os conselhos do médico e o folheto de embalagem de cada medicamento. Afinal, existem várias substâncias que usam o paracetamol como o ingrediente ativo mais importante. Para começar a prevenção descubra quais pessoas não podem tomar paracetamol.


Quem nunca deve tomar paracetamol:


  • Gestantes;
  • Pessoas com doença renal;
  • Pessoas com hipersensibilidade;
  • Pessoas com danos no fígado, incluindo aquelas que recebem drogas hepatotóxias.

Os dados foram divulgados pela Faculdade de Medicina da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM). Eles servem como um aviso para todos os indivíduos que pertencem a este grupo.


Qual é a dose máxima de paracetamol?


Ainda segundo a UNAM, a dose máxima indicada de paracetamol para combater a dor e a febre é de 325.000 miligramas.  Esse valor pode ser administrado com intervalo mínimo de 4 horas, com máximo de 4 gramas por dia.


As pessoas que têm algum problema de saúde devem aumentar o intervalo de dosagem para 6 horas. Neste grupo estão pessoas com lesões cerebrais moderadas. Se o paciente tiver uma taxa de filtração glomerular inferior a 10 ml/minuto, o intervalo é aumentado para 8 horas.


Lembre-se que apenas um médico ou especialista em saúde é capaz de prescrever medicamentos com precisão.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem