Conheça os 10 principais sintomas de infarto e os principais sintomas

Imagem: Reprodução/ Tuasaude


Sintomas de infarto agudo do miocárdio surgem quando o bloqueio ou entupimento de um vaso sanguíneo do coração ocorre devido ao aparecimento de placas de gordura ou coágulo, impedindo a passagem e causando a morte das células cardíacas.


O ataque cardíaco pode acontecer em qualquer pessoa, independentemente da idade e sexo, porém acontece com mais frequência em pessoas com mais de 45 anos, que fumam, estão acima do peso, têm pressão alta, diabetes ou colesterol alto, por exemplo.


Os principais sintomas que podem indicar um ataque cardíaco incluem:


  • Dor no lado esquerdo do peito, na forma de aperto, pontada ou peso, que pode irradiar para o pescoço, axila, costas, braço esquerdo ou até mesmo braço direito;
  • Dormência ou formigamento no braço esquerdo;
  • Dor de estômago, não relacionada à alimentação;
  • Dor nas costas;
  • Mal-estar;
  • Sentindo-se doente e tonto;
  • Palidez e suor frio;
  • Dificuldade para respirar ou respiração rápida;
  • Tosse seca;
  • Dificuldade para dormir.

Esses sintomas geralmente surgem ou se intensificam com o desempenho do esforço físico, durante o estresse ou após a alimentação, já que são períodos em que o coração luta mais e pode sentir mais os efeitos da falta de circulação.


Embora os sintomas mencionados sejam os principais e mais comuns em qualquer pessoa, o infarto também pode surgir com algumas características particulares em alguns grupos. Alguns exemplos disso são:


1. Sintomas de infarto em mulheres


Imagem: Reprodução/Google


As mulheres podem ter sintomas que variam ligeiramente em relação aos homens, pois podem ser mais leves, como desconforto no peito, sensação de mal-estar, batimentos cardíacos irregulares ou sensação de heabeing em um dos braços. Como esses sintomas não são muito específicos, isso pode ser confuso com outras situações como má digestão ou indisposição, por exemplo, e isso pode atrasar o diagnóstico.


As mulheres têm um risco menor de infarto do que os homens, porém esse risco aumenta muito após a menopausa, já que nesse período os níveis de estrogênio diminuem, o que é um hormônio cardíaco aliado, pois estimula a dilatação dos vasos e facilita o fluxo sanguíneo. Portanto, sempre que os sintomas são persistentes e, principalmente, se pioram após esforço, estresse ou alimentação, é muito importante procurar o pronto-socorro para uma avaliação médica. Confira mais detalhes sobre os sintomas de ataque cardíaco na mulher.


2. Sintomas de infarto em jovens


Imagem: Reprodução/Google

Os sintomas de infarto em jovens não são muito diferentes dos principais sintomas, dor ou aperto no peito predominante, formigamento no braço, sensação de mal, suor frio, palidez e tontura. A particularidade reside no fato de que os jovens são mais propensos a ter um infarto fulminante, aquele que surge de repente e que muitas vezes pode causar a morte da vítima antes que ela possa ser atendida pelo médico. Isso acontece, pois, ao contrário dos idosos, os jovens ainda não têm tempo para desenvolver a chamada circulação colateral, responsável por irrigar o coração junto com as artérias coronárias, reduzindo o impacto da falta de circulação no coração.  


O ataque cardíaco geralmente ocorre em homens com mais de 40 anos e mulheres com mais de 50 anos, porque riscos como colesterol excessivo, obesidade, pressão alta e diabetes causam danos aos vasos sanguíneos silenciosamente ao longo de muitos anos, e nessa faixa etária mais velha é que consequências como infarto e derrame acontecem com mais frequência.



No entanto, algumas pessoas com menos de 40 anos podem ter um ataque cardíaco, e isso geralmente é devido a alterações genéticas, que causam alterações metabólicas na circulação sanguínea. Esse risco aumenta quando o jovem leva uma vida insalubre, com obesidade, tabagismo, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e falta de atividades físicas. Saiba mais sobre como identificar e tratar um ataque cardíaco fulminante.


3. Sintomas de infarto em idosos



Imagem: Reprodução/Google


Os idosos podem ter maior probabilidade de ter um infarto silencioso, pois ao longo dos anos a circulação pode desenvolver vasos sanguíneos que fazem circulação colateral, ajudando as artérias coronárias a levar sangue para o coração. Dessa forma, os sintomas podem ser mais leves e persistir por muitos dias, como sudorese excessiva, falta de ar, palidez, alteração na frequência cardíaca ou desconforto no peito, por exemplo.


No entanto, isso não é uma regra, e pode haver dor leve a severa, acompanhada de uma sensação de heave ou aperto no peito. A dor também pode surgir no abdômen superior e pode ser confundida com gastrite ou refluxo.


Os idosos apresentam maiores riscos de desenvolver doenças cardiovasculares, como infarto e acidente vascular cerebral, pois o corpo apresenta alterações na circulação sanguínea, condução dos batimentos cardíacos e capacidade do coração, tornando mais propício desenvolver essas complicações. No entanto, o risco diminui se os idosos tiverem hábitos de vida saudáveis, como uma dieta rica em vegetais e baixa em carboidratos e gordura, mantendo-se em peso controlado e realizando atividades físicas.


Quando ir ao médico


Quando a pessoa tem dor intensa entre a boca e o umbigo que dura mais de 20 minutos e apresenta outros sintomas que estão ligados ao infarto, deve procurar um hospital ou ligar para o SAMU, especialmente em casos de histórico de diabetes, pressão alta, obesidade e colesterol alto.


Além disso, para ajudar a aliviar a dor e melhorar a circulação, as pessoas que nunca tiveram um ataque cardíaco podem tomar 2 comprimidos de aspirina enquanto esperam pela ambulância.


Se você estiver presente em um caso de ataque cardíaco com perda de consciência, o ideal é fazer uma massagem cardíaca enquanto espera a ambulância chegar, pois aumenta as chances de sobrevivência da pessoa.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem