Confira 5 dicas para controlar a pressão alta. Veja o vídeo

Imagem: Reprodução/Google


Para controlar a pressão alta de forma eficaz, além do tratamento recomendado pelo médico, é essencial fazer mudanças em alguns hábitos de vida, pois muito do que fazemos ou comemos se reflete diretamente na pressão. Assim, algumas das atitudes essenciais para diminuir a pressão são a perda de peso, a prática da atividade física e a desistência do tabagismo, por exemplo.


Algumas mudanças, no entanto, não são fáceis, pois ninguém merece comer um alimento insípido e não pode perder peso da noite para o dia, por exemplo, portanto, essas 5 dicas podem ser seguidas no dia-a-dia, incluindo a gravidez, para facilitar o alcance desses objetivos:


Imagem: Reprodução/TuaSaúde 

1. Substitua o sal por outros temperos


O sal não é o único tempero que pode saborear alimentos, e há muitas opções para substituí-lo, e pode investir em especiarias como: pimenta, cebola, alho, gengibre, orégano, salsinha, coentro, manjericão, cúrcuma, folha de louro e alecrim. É possível aperfeiçoar esses temperos sem culpa, e também ser capaz de alterná-los e descobrir novos sabores.


Além disso, alimentos enlatados, embutidos e congelados, ou temperos prontos, como em cubos ou potes, devem ser evitados, pois contém muito sal e outros aditivos que não podem ser controlados, sendo contraindicado para aqueles que são hipertensos. Assim, é importante preferir alimentos preparados em casa, ou da forma mais natural possível.


Se você precisa comer fora com muita frequência é recomendado tomar marmitas de casa, que podem até ser feitas em um dia da semana e congeladas em recipientes separados.


2. Pratique atividade física regularmente


A prática de exercícios físicos é essencial para ajudar a controlar a pressão arterial e melhorar a circulação sanguínea, ajudando a prevenir e tratar diversas doenças. No entanto, esse efeito só será alcançado se os exercícios forem praticados regularmente pelo menos 3 vezes por semana.


Então não adianta se esforçar muito na academia por 3 dias seguidos, e depois passar 10 dias sem ir, ou apenas fazer atividades nos fins de semana. Assim como o remédio deve seguir uma rotina, a atividade física também deve ser vista como um tratamento e, mais do que isso, um investimento em melhor saúde e qualidade de vida. Veja dicas de treinamento para controlar a pressão arterial.


3. Controlar o estresse


Estresse e ansiedade causam várias reações negativas no organismo, como a produção de hormônios como cortisol, adrenalina e insulina que podem fazer com que a pressão esteja aumentando constantemente, mesmo com o tratamento correto.


Assim, buscar alternativas para diminuir os níveis de estresse do dia-a-dia, mesmo que a rotina não ajude, recomenda-se ajudar no controle da pressão. Ótimas alternativas para isso são a realização de práticas como meditação, yoga, massagem, acupuntura e pilates. A prática da atividade física também ajuda a regular os níveis hormonais e de estresse, mesmo que seja uma caminhada de 30 minutos.


4. Durma entre 6 e 8 horas por noite


Para que os batimentos cardíacos e o fluxo dos vasos sanguíneos se normalizem, permitindo um melhor controle da pressão arterial, é necessário pelo menos 6 horas de sono por noite. Portanto, embora possa variar de pessoa para pessoa, o ideal é que o sono durma em cerca de 7 horas, e mais de 8 horas também não seja benéfico para a saúde, aumentando o risco de doenças cardiovasculares.


Além disso, também é importante ter um sono relaxante e restaurador, evitando insônia e agitações noturnas, que prejudicam o efeito do sono sobre a saúde. Confira as 10 dicas para dormir bem.


5. Tome medicamentos nos momentos certos


É importante que os medicamentos de pressão sejam tomados nos intervalos recomendados pelo médico, a cada 8, 12 ou 24 horas, por exemplo, e é importante que sejam sempre tomados nos mesmos horários todos os dias. Essa disciplina é importante porque o efeito dos medicamentos varia ao longo do tempo, portanto, se a pessoa atrasar ou antecipar o cronograma do remédio, o efeito pode variar.


Um exemplo é que, se um remédio deve ser retirado a partir das 8 em 8 horas, seu intervalo pode ser tanto às 6h, 14h e 22h, quanto às 8h, 16h e 12h, por exemplo. Assim, os intervalos são respeitados, mas o tempo é definido de acordo com a necessidade de cada pessoa, sendo preferível ser o mesmo horário todos os dias. Se houver alguma dificuldade em seguir a rotina de horas de medicação, é importante conversar com o médico para avaliar a possibilidade de ajustar ou mesmo mudar a medicação.


Uma dica para não esquecer, é colocar um despertador ou celular para avisar quando for a hora certa, e sempre levar na bolsa ou carteira uma caixa com alguns medicamentos para usar quando você não estiver em casa.


Lista dos piores alimentos para hipertensão


Os alimentos desta lista devem ser evitados pela hipertensa, pois têm muito sal e dificultam o controle da pressão arterial.


  • Biscoitos de água e sal e outros biscoitos salgados;
  • Manteiga com sal;
  • Queijos curados;
  • Batatas fritas com sal;
  • Azeitonas;
  • Enlatado;
  • Alimentos embutidos, como salsicha;
  • Salsichas defumada;
  • Carnes salgadas;
  • Peixe salgado;
  • Molhos;
  • Caldos de carne ou frango tipo Knorr;
  • Refrigerantes;
  • Alimentos industrializados prontos para consumo;
  • Café;
  • Chá preto;
  • Chá verde.

Além disso, em uma dieta de pressão alta também é importante ler cuidadosamente rótulos alimentares porque o sal pode ser descrito como sódio, cloreto de sódio ou glutamato monossódico. Os produtos com esta descrição em informações nutricionais devem ser evitados por pacientes hipertensos.


Veja, também, outras dicas da nutricionista para baixar a pressão alta:





Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem