Adeus ao cafezinho: Produtor diz que café pode se tornar artigo de luxo. Confira

Imagem: Reprodução/Google


Os impactos da invasão russa da Ucrânia afetam não apenas os preços das commodities minerais – como gás e petróleo – mas também as commodities agrícolas. E um dos produtos que mais deve subir após o início do conflito é o café. De acordo com as previsões, pode se tornar item de luxo para muitas pessoas.


Quem faz o alerta é o produtor Carlos Alberto Coutinho Filho. Segundo ele, a duração da guerra entre os países do Leste Europeu será crucial para determinar o preço do café no Brasil. Se a situação externa permanecer instável, haverá uma redução na oferta de produtos e um consequente aumento dos preços.


Crise dos fertilizantes


A razão é que os países que estão em conflito são grandes exportadores de fertilizantes à base de petróleo, o que dificulta a importação desses produtos pelo setor agrícola brasileiro.
Em suma, o resultado de tudo isso é o aumento dos preços, a redução dos níveis de produtividade e a queda na oferta de café no mercado.


"(O solo) é muito ácido e pobre. É necessária uma maior reposição de nutrientes do que em outras regiões", observou Coutinho Filho.


"O ciclo do café é anual no Brasil: começa em maio e termina em agosto. É um período que consome fertilizante. Mas o período mais utilizado é logo após a colheita, que estará no limite do estoque. Vamos depender do futuro e das questões de guerra", acrescentou.


Portanto, com a crise dos fertilizantes, o destino do café acabará sendo o mesmo que outros produtos agrícolas, sob risco de ameaça a partir de outubro. Vale lembrar que esse é o prazo estabelecido pelos especialistas e define a duração do estoque do ingestão disponível no país.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem