Auxílio Emergencial 2022: Confira quem pode receber o retroativo.

Imagem: Reprodução/Google

Com a chegada de 2022, muitos cidadãos estavam em dúvida sobre uma possível extensão do Auxílio Emergencial. No entanto, o Governo Federal já confirmou novos pagamentos para o programa, mas não é uma extensão, mas transferências retroativas.


A Caixa Econômica Federal realizou em 13 de janeiro alguns pagamentos referentes ao novo lote. No entanto, é importante ressaltar que nem todos os beneficiários do Auxílio Emergencial estão recebendo os valores, mas apenas um grupo específico.


A Ajuda emergencial terá novas parcelas em 2022?


Embora algumas pessoas não saibam, o Governo Federal já iniciou a liberação de novas parcelas de auxílio emergencial. Mas deve-se notar que os novos pagamentos são exclusivos de pais solteiros que são chefes de família.


Isso porque, durante o primeiro ano de pagamento do Auxílio Emergencial, os pais solteiros receberam apenas a parcela simples do benefício, não tendo o mesmo direito, dado que as mulheres solteiras também são chefes de família que receberam o benefício duplo.


Com isso, em junho de 2021, o Congresso Nacional fez um movimento que conseguiu reverter esse cenário, que foi resultado de um veto do presidente Jair Bolsonaro anteriormente, permitindo pagamentos apenas agora.


Consulta de Auxílio emergencial 2022 pela Dataprev


Para verificar se você tem direito ao Auxílio de Emergência retroativo, o pai solteiro pode consultar o site da Dataprev. Tudo tem um limite:


  • Digite o nome completo;
  • Número do CPF;
  • Nome completo da mãe, se você sabe; e
  • Data de nascimento;
  • Finalmente, informe "Eu sou humano".


Retorno do auxílio emergencial de R$ 600 para 2022 será discutido


A devolução do auxílio emergencial de R$ 600 para este ano de 2022 será novamente discutida.  Atualmente, já se sabe que o Governo Federal confirmou que não tem o objetivo de retornar com os pagamentos de Auxílio Emergencial. O programa que atingiu cerca de 39 milhões de pessoas no ano passado chegou oficialmente ao fim em outubro do ano passado. O Ministério da Cidadania optou por não prorrogar o projeto.


No entanto, muitos estão tentando fazer essa situação mudar. De acordo com informações dos bastidores, vários deputados estão querendo discutir a volta do Auxílio emergencial. Em entrevistas recentes, vários parlamentares disseram que voltarão a redirecionar essa questão já nos próximos dias.


"Essa ajuda é muito importante para milhões de brasileiros que não foram completamente assistidos na pandemia ainda persistente. Muitos nem sequer foram incluídos no Brazil Aid.
Isso tem causado um enorme sofrimento a essa imensa parcela da população", disse o deputado Renildo Calheiros (PSB-PE).


De acordo com informações oficiais, cerca de 25 milhões de pessoas ficaram sem nada após o fim da Ajuda emergencial em outubro do ano passado. São números do próprio Ministério da Cidadania. O Ministro, João Roma, disse que isso aconteceria se o benefício chegasse ao fim.


Embora não divulgue oficialmente isso, o que se sabe é que uma parte desses usuários conseguiu entrar no Auxílio Brasil em janeiro. Na época, o Governo Federal disse que conseguiu inserir cerca de 3 milhões de pessoas no programa. Mas o fato é que, como disse o senhor deputado Renildo, nem todos conseguiram entrar.


Estimativas de números


De acordo com informações oficiais, milhões de pessoas que estavam em Socorro de Emergência ainda não foram capazes de receber nenhum outro programa social. Pelo menos é o que se sabe até agora.


A situação piora quando se leva em conta que, no momento, a economia ainda não está normalizada. Com isso, muitas pessoas estão encontrando muitas dificuldades para conseguir emprego. São precisamente essas pessoas que pedem o retorno da Ajuda de Emergência.


No entanto, pelo menos até agora não há indicação de que isso realmente acontecerá. O Governo Federal diz que não pode pagar mais uma vez o auxílio emergencial. Eles alegam que não há mais espaço no orçamento.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem